Moças ficam amigas no TikTok e descobrem que são irmãs gêmeas

Após o contato na rede social, Elene e Anna realizaram o teste de DNA que apontou que elas não eram só muito parecidas, mas irmãs gêmeas

Elene Deisadze, estudante de psicologia, estava utilizando o TikTok, em 2022, quando viu o vídeo de uma menina que se parecia muito com ela, Anna Panchulidze. As duas começaram a conversar pela internet e viraram amigas.

Apesar de notarem as semelhanças físicas, Elene e Anna não desconfiavam que a ligação entre elas era tão próxima, até completarem 18 anos e descobrirem que foram adotadas, na mesma data, logo após o aniversário das duas.

A coincidência foi tanta, que ambas decidiram realizar o teste de DNA, que comprovou que as meninas não só eram da mesma família, como também eram gêmeas.

Elene e Anna nasceram na Geórgia, país europeu onde havia um forte esquema de tráfico de crianças, que eram separadas de suas mães. As mulheres recebiam a informação, nos hospitais, que os filhos estavam mortos.

Na verdade, os bebês eram enviados para outros lugares com certidões de nascimento falsificadas.

A jornalista Tamuna Museridze, que investigou o caso, afirma que pelo menos 120 mil bebês foram roubados e vendidos a outras famílias entre os anos de 1950 e 2006.

A suspeita é que o esquema era realizado por uma rede que envolvia maternidades, berçários e agências de adoção.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas