Tião Viana alerta para aumento de doença transmitida por caramujos no Acre

O parasita Angiostrongylus cantonensis, encontrado em caramujos, foi introduzido por cooperativas do Paraná na década de 80

A meningite eosinofílica transmitida por caramujos está se espalhando no Acre, alerta Tião Viana

Nesta segunda-feira (08), o ex-governador Tião Viana fez um alerta à população do Acre sobre a crescente incidência de meningite eosinofílica, transmitida por caramujos, no estado.

Tião Viana é infectologista e ex-governador do Acre/Foto: Reprodução

Os sintomas incluem dor de cabeça intensa, febre, rigidez de nuca, vômitos, desorientação e convulsões, podendo evoluir para coma. Viana ressaltou que após a fase aguda, a dor de cabeça pode persistir por longos períodos, e a taxa de mortalidade da doença é de 3%.

O tratamento mais eficaz envolve o uso de analgésicos, corticoides e a remoção frequente de líquido cefalorraquidiano para reduzir a pressão no sistema nervoso central.

O parasita responsável, angiostrongylus cantonensis, foi introduzido no Acre por cooperativas do Paraná na década de 80 para comercialização como uma alternativa culinária ao escargot. Os caramujos se infectam ao se alimentarem das fezes de ratos portadores do parasita, tornando-se contaminantes. Eles podem se alimentar de várias plantas ornamentais, verduras e frutas.

Tião Viana também recomendou medidas de higienização e eliminação: uma solução de hipoclorito de sódio para três partes de água, deixando de molho por uma hora antes de descartar no lixo orgânico; e uma colher de sopa de água sanitária diluída em um litro de água, para imersão de alimentos por 10 a 30 minutos antes do consumo.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas