Juan José Zúñiga, responsável por tentativa de golpe na Bolívia, é preso e acusa presidente de orquestrar ato

General foi detido em La Paz por ordem da Procuradoria-Geral da Bolívia, nesta quarta-feira (26). Militar era comandante-geral do exército, mas foi destituído do cargo.

O general Juan José Zúñiga, responsável por tentativa de golpe na Bolívia, foi preso na noite desta quarta-feira (26). A prisão foi determinada pela Procuradoria-Geral do país, segundo a imprensa local.

Zúñiga foi preso na entrada da sede do Estado-Maior, em La Paz. Segundo a Associated Press, após ser detido, ele afirmou que o golpe foi orquestrado pelo próprio presidente Luis Arce, com o objetivo de aumentar a popularidade do governo.

“No domingo, na escola La Salle, me encontrei com o presidente e ele me disse que a situação está muito complicada”, afirmou Zúñiga, segundo o jornal. O general disse que recebeu autorização do presidente para levar blindados às ruas.

General Juan José Zuñiga/Foto: Agência Boliviana de Informação

Até a última atualização desta reportagem, Arce não havia comentado a declaração de Zúñiga.

O general era o comandante-geral do exército boliviano, mas foi destituído do cargo na terça-feira (25). Ele foi afastado após afirmar que prenderia o ex-presidente Evo Morales caso ele fosse eleito nas eleições de 2025.

Na tarde desta quarta-feira, membros das Forças Armadas invadiram o palácio presidencial em La Paz, liderados para Zúñiga. Unidades do Exército também foram vistas agrupadas em ruas e praças da capital boliviana.

O presidente Luiz Arce estava em outro local. Em uma rede social, ele pediu para que a democracia fosse respeitada e afirmou que “mobilizações irregulares” estavam acontecendo.

A Procuradoria-Geral da Bolívia abriu uma investigação para apurar a tentativa de golpe. Além de Zúñiga, outros militares envolvidos também serão investigados.

*A reportagem está sendo atualizada

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas