PSDB define posição sobre apoio a Bocalom na próxima semana; PL afirma confiança

PSDB define posição sobre apoio a Bocalom

Após declarar sua intenção de iniciar negociações com outras legendas para a disputa da Prefeitura de Rio Branco, o PSDB, juntamente com os postulantes a vereador pelo partido, deverá tomar uma decisão sobre a possibilidade de integrar a chapa encabeçada por Bocalom/Alysson na próxima terça-feira, 25 de junho.

João Paulo Bittar é presidente do PL/Foto: Matheus Mello/ContilNet

A informação foi compartilhada com esta coluna pelo presidente do PL no Acre, João Paulo Bittar. A data foi acordada durante um encontro ocorrido nesta semana entre os dirigentes tucanos e o prefeito Tião Bocalom.

Apesar dos indícios de potencial dissidência dentro do PSDB, o presidente do PL afirmou que tudo indica que a aliança será consolidada. Segundo ele, não houve oposição significativa ao nome de Bocalom por parte dos membros do PSDB.

“Pela minha impressão, a conversa transcorreu muito tranquilamente. Os pré-candidatos levantaram algumas questões, mas não percebi qualquer rejeição ao nome de Bocalom e há um sentimento de não participação na chapa liderada pela esquerda, comandada pelo MDB e Marcus Alexandre”, comentou João Paulo.

Excluídos deste cenário

No meio desta situação confusa, apenas uma voz se manifestou em nome dos tucanos: Tadeu Coelho, presidente do PSDB em Rio Branco.

Outras lideranças do partido, como o presidente da Assembleia Legislativa, Luiz Gonzaga, e os líderes do Imac e Fem, André Hassem e Minoru Kinpara, além da recentemente filiada Vanda Milani, não compareceram à reunião com Bocalom e não comentaram o assunto.

Alvo de especulações

A ex-deputada foi sondada anteriormente como possível vice-prefeita na chapa de Marcus Alexandre, do MDB. Vanda recebeu mais de 22 mil votos em 2018, quando foi eleita deputada federal. Em 2022, obteve mais de 10 mil votos somente em Rio Branco para o Senado.

Perfil que o MDB busca

O que aproxima Vanda ainda mais da posição de vice de Marcus é seu alinhamento político à direita, um critério há tempos procurado pelo MDB para escolher seu companheiro de chapa.

Além disso, a ex-deputada possui forte influência na região do 2º Distrito de Rio Branco, sendo aliada de diversos presidentes de bairros na área, que abriga um número significativo de seções eleitorais.

Chapa pura é descartada

Está completamente fora de cogitação que o ex-deputado Fláviano Melo seja o vice-prefeito na chapa de Marcus Alexandre. A informação foi confirmada por uma fonte interna do MDB. A coalizão em torno da candidatura de Marcus envolve 10 partidos.

Apresentar uma chapa sem aliados seria ignorar a necessidade de participação dos partidos coligados no processo eleitoral. O PSD, por exemplo, está considerando a atual vice-prefeita Marfisa Galvao como opção. O PSB, por sua vez, menciona o ex-deputado Jenilson Leite, ambos bons nomes para ocupar a posição.

Alianças definem candidaturas

Essa abordagem está alinhada com o comentário anterior de Marcus, feito no mês passado a esta coluna: nenhuma campanha é bem-sucedida quando isolada.

Uma candidatura majoritária se constrói por meio de alianças. Seria altamente prejudicial para o MDB participar de uma eleição ignorando seus aliados na chapa.

Desgaste político

A vereadora Lene Petecão tornou-se persona non grata na Tenda Amarela e perdeu apoios importantes ao deixar o PSD para se filiar ao União Brasil. Enfrentará uma reeleição desafiadora, distante do apoio de seu irmão, o senador Sérgio Petecão.

Atuação na Educação

A deputada federal Socorro Neri continua a defender firmemente sua atuação como parlamentar da Educação. Na semana passada, conseguiu avanços significativos durante uma reunião com o ministro Camilo Santana.

Entre as medidas discutidas está a criação e instalação do Centro Internacional da Biodiversidade Amazônica, em Xapuri.

Questão sensível

Além disso, Neri propôs ajustes na aplicação do Enem para estudantes com transtorno do espectro autista, após um vídeo viralizar mostrando as dificuldades enfrentadas por um estudante autista do Acre durante a prova.

Concessões necessárias

A revelação de que a reitoria da Ufac gastou mais de R$ 1 milhão em viagens veio à tona em um momento delicado, enquanto negociações com os servidores em greve continuam. Certamente isso será usado contra Guida, que precisará reconsiderar suas posições diante dos pedidos da Adufac.

Disputa acirrada

A corrida pela Prefeitura de Feijó promete ser uma das mais intensas entre os municípios do interior. Recentemente, Cláudio Braga anunciou ter o apoio significativo do governador Gladson Cameli e da vice-governadora Mailza Assis. Além disso, ele conta com o respaldo do atual prefeito, Kiefer Cavalcante, como seu sucessor.

Confronto de titãs

Por outro lado, o delegado Railson Ferreira também angariou apoios de peso, incluindo o senador Alan Rick e o deputado Roberto Duarte. A competição está acirrada na terra do açaí.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas