Dois corações, uma história: casal de idosos que se conheceu na escola descreve os encantos do namoro ao longo de 28 anos

O casal começou seu relacionamento em uma sexta-feira do ano 1999

No Brasil, o dia 12 de junho é uma data significativa marcada pela celebração do Dia dos Namorados.

Nas mídias sociais, na televisão e em outdoors, casais de todas as idades são protagonistas de campanhas publicitárias de marcas e lojas, dedicadas a essa ocasião especial.

Heloísa e Lúcio em São Paulo/Foto: Cedida

Enquanto muitos casais mais jovens ganham destaque, os mais experientes também têm suas histórias a compartilhar, como é o caso de Heloísa, de 66 anos, professora aposentada, e Lúcio, de 65, bancário também aposentado, que estão juntos há 28 anos, sem nunca terem formalizado a união.

Em uma entrevista ao ContilNet, Heloísa revelou que conheceu Lúcio durante seus anos escolares, quando frequentavam a mesma instituição de ensino médio.

“Estudávamos juntos no CERBR e, naquela época, ele já demonstrava interesse por mim. Ele me pediu em namoro, mas, ao ouvir uma conversa sobre uma aposta envolvendo quantas garotas da sala ele namorava, recusei sua proposta, pois pensei que fosse apenas por diversão”, explicou.

Após o término do ensino médio, cada um seguiu seu caminho, mas o destino os reuniu novamente anos depois, levando-os a decidir conversar sobre a vida.

Em uma sexta-feira, no ano de 1996, como lembra Heloísa, decidiram formalizar o relacionamento. “Eu já era mãe, com um filho de 5 anos, e estava em um relacionamento.

Ele também tinha uma namorada na época. Contudo, naquela noite, ele decidiu terminar com ela e propôs que ficássemos juntos. Aceitei sua proposta e também terminei meu namoro para ficarmos juntos. E assim estamos até hoje”, compartilhou Heloísa.

O casal se conhece há, pelo menos, 35 anos, e namoram há 28/Foto: Cedida

Heloísa mencionou que, ao longo dos anos, cada um manteve sua própria residência e rotina.

“Nunca dividimos o mesmo teto nem formalizamos nossa união. Ele me pediu em casamento por três vezes, mas eu sempre recusei, influenciada pela percepção de que o casamento poderia tornar nossa vida mais monótona, algo que eu não desejava. Ele chegou a brincar, dizendo que se um dia eu quisesse casar, teria que ser eu a fazer o pedido”, contou.

“A nossa vida de namoro é muito satisfatória. Saímos juntos todos os fins de semana, frequentamos restaurantes e viajamos para diferentes lugares. Optamos por manter essa dinâmica”, acrescentou.

Ela também destacou que, ao longo do relacionamento, cada um cuidou de seus respectivos familiares idosos. “Quando começamos a namorar, minha mãe ainda era ativa e participava de nossas viagens.

No entanto, com o passar dos anos, à medida que ela envelheceu e necessitou de mais cuidados, eu permaneci ao seu lado. Ele também desempenha um papel ativo no cuidado de sua mãe”, explicou.

Recentemente, durante uma estadia em São Paulo para acompanhar o tratamento médico de Lúcio, Heloísa tomou uma decisão significativa.

“Após passarmos três meses juntos durante esse período difícil, decidi que era hora de fazer o pedido de casamento. E assim o fiz”, compartilhou, com um sorriso.

Questionada sobre a possibilidade de morarem juntos após tantos anos de relacionamento, Heloísa expressou ponderação. “Ainda estou refletindo sobre isso.

O casal se conheceu na adolescência/Foto: Cedida

O namoro tem seu encanto, a saudade faz parte da experiência. Nos falamos quase todos os dias, mas também respeitamos o espaço um do outro. Afinal, é essa dinâmica que tem funcionado tão bem para nós até agora”, disse.

Ela enfatizou que o relacionamento deles é baseado no respeito mútuo.

“É uma relação saudável e respeitosa. Infelizmente, vejo muitos casais enfrentando problemas de falta de respeito, mas essa não é a nossa realidade. Valorizamos e respeitamos o espaço e as individualidades um do outro”, concluiu Heloísa.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas