Após dias de tempo ameno, Centro-Sul deve ter ‘veranico’; capitais podem ter recorde de calor para junho

Novo bloqueio atmosférico que se estabeleceu no Sudeste do país vai inibir a chegada de novas frentes frias no Centro-Sul.

Depois de uma semana de temperaturas amenas e tempo característico de outono, boa parte do país deve ter um fim de semana mais quente. O Centro-Sul deve enfrentar um veranico, com temperaturas acima da média nos próximos dias, segundo a Climatempo.

☀️🏖️Veranicos são períodos de mais de quatro dias quentes no inverno ou durante o outono. São dias de temperatura acima de média, tempo seco e pouca chuva. Esses eventos não necessariamente configuram ondas de calor.

Isso porque as ondas de calor são caracterizadas não só pelas altas temperaturas registradas, mas pelo prejuízo à saúde e pelo calor persistente, tanto diurno como noturno.

No caso dos próximos dias, um novo bloqueio atmosférico se estabeleceu no Centro-Leste do país, inibindo a chegada de novas frentes frias no Centro-Sul.

Com esse novo sistema, as temperaturas devem ficar bem acima da média em áreas do oeste e sul do Mato Grosso do Sul e em parte da região Sul, especialmente no Rio Grande do Sul. (veja detalhes no mapa)

Brasil deve enfrentar veranico nos próximos dias. — Foto: Arte/g1

Brasil deve enfrentar veranico nos próximos dias. — Foto: Arte/g1

Recorde de calor para junho

Apesar de serem esperados dias mais quentes nessas regiões, não significa que o calor será intenso, e sim que as temperaturas vão ficar altas para o padrão esperado para junho.

Com isso, algumas regiões podem registrar recordes de calor para o mês. No Rio Grande do Sul, por exemplo, as temperaturas devem ficar entre 5 e 8 graus acima da média por um período prolongado.

👉Os meteorologistas explicam que as máximas previstas não são incomuns de acontecerem em junho, mas o que chama a atenção é a duração desse período mais quente.

Em São Paulo, há possibilidade de recorde de calor para junho neste fim de semana. Segundo Fábio Luengo, meteorologista da Climatempo, a maior temperatura registrada para o mês foi de 28,8°C, em junho de 1992 – e essa marca pode ser superada nos próximos dias.

“A gente tem previsão de chegar aos 28°C no domingo (9). Ou seja, podemos chegar bem perto, ou até mesmo passar, outro recorde histórico”, comenta o meteorologista.

Luengo ainda lembra que o calor deve acontecer mais no período da tarde. As noites e madrugadas ainda devem ser frescas, como vinha ocorrendo nos últimos dias.

As chuvas devem ficar concentradas em áreas do Norte e do Nordeste. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há risco de temporais no norte do Amazonas e no Amapá, além da faixa litorânea da Bahia até o Rio Grande do Norte.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas