Comitê Chico Mendes lança novo site com acervo completo de “Memória” e “Legados” de Chico

Projeto é parceria com a Fundação Banco do Brasil

Assim que você entra no novo site do Comitê Chico Mendes, você se depara com o rosto do seringueiro em um design estilizado pelo artista visual Henrique de Almeida com a frase em destaque: “Chico Mendes Vive”. Além disso, uma citação célebre do líder seringalista também surge:

“Nossa vitória depende da nossa organização e disciplina”, dizia Chico Mendes/Foto: Reprodução

“No começo pensei que estivesse lutando para salvar seringueiras, depois pensei que estava lutando para salvar a Floresta Amazônica. Agora, percebo que estou lutando pela humanidade”, fica escrito.

O site, fruto de um projeto da Fundação Banco do Brasil (FBB), tem o objetivo de documentar e catalogar as ações da organização, além de servir de acervo para todas as produções que envolvem o nome de Chico Mendes ao longo dos anos. Seja tese de doutorado, documentário, depoimentos, matérias e fotos, tudo contribuirá para a facilitação da comunidade para estes arquivos importantes historicamente.

Home do site do Comitê Chico Mendes/Foto: Reprodução

Tendo como pilares relatar a história de Chico e servir como um portal de notícias do Comitê e uma plataforma multimídia para as diversas narrativas amazônidas que rondam a região, o site ainda está em construção. O site é o segundo do comitê, e se trata de uma reformulação do conteúdo e já pode ser acessado por meio do endereço eletrônico: https://www.comitechicomendes.org/.

Memória de Chico

Chico Mendes, nasceu em 15 de dezembro de 1944 em Xapuri, Acre, Brasil. Criado em uma família de seringueiros, ele aprendeu desde cedo a importância da floresta para sua comunidade.

Se tornando um fervoroso defensor da Amazônia e dos direitos dos seringueiros. Ele foi um habilidoso mobilizador, lutando incansavelmente contra o desmatamento.

Sua visão abraçava a sustentabilidade, criando, por exemplo, o Conselho Nacional das Populações Extrativistas, se juntando para a origem da Aliança dos Povos da Floresta e defendendo a concepção das Reservas Extrativistas.

“Vejo Chico como um grande comunicador. Que ele conseguiu e fez o que fez porque ele era um grande comunicador, porque ele sabia como circular entre os grupos, porque ele sabia como conversar com pessoas diferentes, ele sabia encontrar os pontos de conexão e fortalecer os laços”, quem fala é Ana Luiza de Limas, de 28 anos.

Chico Mendes/Foto: Reprodução

Ana se descreve como “acreana do pé rachado” e está como coordenadora-geral do Comitê desde o mês de março – ela chegou no meio do processo de reformulação do site.

Sendo colaboradora do Comitê desde 2022, ela comenta da importância de levar o discurso ambientalista à diante, mesmo 36 anos depois de seu assassinato por Darcy Alves a mando de seu pai, Darly Alves, grileiro de terras:

“A gente passa por uma situação delicada a nível mundial. O nosso planeta está pedindo socorro, desesperado por ajuda. A gente vê constantemente relatos de casos de eventos climáticos extremos. Estamos numa situação de ebulição global, então a tendência, infelizmente, é que as coisas piorem, tornando-se cada vez mais intensas e frequentes”, diz a entrevistada.

Carta aos Jovens do Futuro/Foto: Reprodução

Para a coordenadora, é preciso comunicar e passar essa mensagem que Chico trouxe na década de 80. Falando sobre a importância de manter as florestas em pé, a importância dos povos da floresta estarem aliançados e a necessidade da aliança dos povos da floresta, estar fortalecida e unida para enfrentar “esse sistema que destrói o planeta e a gente”, afirma.

Legados de Chico

Na estrutura do site, ainda existem páginas em construção. Uma delas, que chama atenção é a aba “Memória e Legado”.

Com o objetivo de apresentar uma biografia de Chico Mendes para quem acessá-la, a seção disponibilizará conteúdos sobre os legados do Chico, como: os Empates, a Aliança dos Povos da Floresta, as Reservas Extrativistas, o Projeto Seringueiro, a Carta aos Jovens do Futuro e o Conceito da Floresta em Pé.

“A comunicação, ela é muito importante e o Comitê Chico Mendes, entendendo isso, também valoriza muito a comunicação”, afirma a comunicadora Ana Luiza de Limas/Foto: Instagram

Eles terão descrição completa e matérias que servirão como um portal de notícias para as ações do Comitê que reverberam estes conceitos.

Além disso, o site servirá como plataforma de cobertura oficial para os encontros organizados pela organização como o Festival Jovens do Futuro, Bioma de Mulheres e, claro, Semana Chico Mendes, sua maior programação que acontece anualmente entre 15 e 22 de dezembro.

Jovens em caminhada ao túmulo do líder sindicalista Chico Mendes na última edição da “Semana Chico Mendes”/Foto: Instagram @chicomendescomite, autor

“Dentro dessa missão que o Comitê Chico Mendes tem, que é carregar e compartilhar o comitê como um grande legado do Chico, compartilhando e reverberando e ecoando a voz e o trabalho do Chico Mendes, a gente entende que precisamos usar as novas ferramentas e tecnologias para acessar mais pessoas e criar mais pontos de conexão, pontos de encontro”, afirma Luiza.

O site, conforme dito pela entrevistada, surge justamente como esse ponto de dinâmica que, uma legenda nas redes sociais, por exemplo, não supre.

“A comunicação, ela é muito importante e o Comitê Chico Mendes, entendendo isso, também valoriza muito a comunicação, e por isso também somos celebrados e lembrados”, finaliza Ana.

Afinal, como dizia Chico Mendes:  “nossa vitória depende da nossa organização e disciplina”.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas