Chapa Bocalom-Alysson é projeto de Gladson e quem o subestima precisa voltar um pouco na história

Muito se discute a respeito da construção da chapa que coloca o atual prefeito Tião Bocalom (PL) como pré-candidato à reeleição e o secretário Alysson Bestene (Progressistas) como vice, numa aliança entre os partidos, que está prestes a ser oficializada.

Em entrevista concedida ao ContilNet nesta quinta-feira (23), o vice-presidente do Progressistas, Livio Veras, garantiu que o processo tem todo o direcionamento do governador Gladson Cameli, que mesmo escutando de forma democrática os dirigentes do partido, é o grande entusiasta dessa união e quem dá a última palavra sobre o assunto.

“Se tem uma pessoa responsável pelo crescimento exponencial do Progressistas, nos últimos anos, essa pessoa é o governador Gladson Cameli, que sabe o que quer e tem se posicionado a partir do que pensa ser melhor para o partido. Tem sido assim em todos esses anos, especialmente nessa questão que envolve a união do PP com o PL”, afirmou.

“O governador escuta atentamente o que pensam os membros do partido – que, em sua esmagadora maioria, já se posicionou a favor dessa união -, por ser um líder democrático, a favor do diálogo. Por ser o grande líder do PP, ele é quem dá a última palavra e tem se mostrado firme a respeito dela”, continuou.

Bocalom, Gladson e Alysson/Foto: ContilNet

Questionado sobre os rumores que apontam para uma suposta centralização do interesse do senador Marcio Bittar na consolidação da chapa Bocalom-Alysson, Livio disse que Gladson não é um político alheio às suas próprias vontades.

“O governador sempre foi do diálogo, mas isso não é sobre ser não saber o que quer para o partido. Pelo contrário, é sobre democracia e respeito. Tem sido assim em todos esses anos. Se tem uma coisa que posso afirmar é que o governador não é um tirano que atua no PP de forma autoritária. O governador sempre decidiu o que foi melhor para o grupo e sempre demos carta branca a ele, como nosso líder, como quem conduz o barco”, destacou.

Ao final da entrevista, Livio reafirmou o que disse o governador em entrevista à imprensa sobre a oficialização da chapa:

“O governador já disse que está 90% concluída essa discussão. Tudo se encaminha para que essa oficialização ocorra em breve. Ele já disse qual o seu posicionamento, e o partido o apoia”. :

Notas do colunista:

É bobo quem acha que Gladson está sendo influenciado. A prova de que o governador tem opinião própria é a sua decisão de se afastar do PP, em 2020, para apoiar Socorro Neri, mesmo seu partido de origem declarando apoio à candidatura de Bocalom na disputa pela Prefeitura.

Gladson foi duramente criticado, mas sustentou sua decisão até o fim. Agora, não tem sido diferente.

Outro exemplo envolve a escolha de sua vice, em 2022. O governador tinha inúmeras possibilidades e lideranças com apoio de grandes agremiações, mas seguiu seu coração e optou por Mailza.

Gladson, com os erros e acertos que todo líder tem, sabe escutar – e, talvez por isso, seja tão subestimado – , mas também sabe decidir. E a história mostra isso!

 

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas