Policial que matou jovem na Expoacre volta a ter habeas corpus negado pela Justiça

Os desembargadores da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, em sessão na terça-feira (21), voltaram a negar habeas corpus e liberdade provisória ao policial penal Raimundo Nonato Veloso da Silva Neto. O pedido foi negado pela relatora do casa, desembargadora Denise Bonfim.

O policial é acusado de matar a tiros o jovem Wesley dos Santos, de 22 anos, na saída de uma show na Expoacre 2023. Ele ainda responde pela tentativa de assassinato de Rita de Cássia da Silva, namorada de Wesley, que também estava na hora do crime e foi baleada.

No pedido, a defesa do policial penal argumentou que a decisão que negou a liberdade de Raimundo Nonato na audiência de instrução e julgamento carecia de fundamentação. Além disso, apontou o excesso de prazo na conclusão do processo.

1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco, chegou a dar início uma audiência de instrução e julgamento que deveria decidir se o policial seria submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri. A sessão foi suspensa a pedido do Ministério Público do Estado do Acre.

A defesa de Raimundo informou que será feito um novo pedido de liberdade ao final da audiência, cuja data ainda será marcada. Enquanto isso, ele permanece preso.

Sobre

@2024 – Todos os direitos reservados. Hospedado e desenvolvido por RJ Sistemas