sábado, 24 maio 2024

Marcio Bittar comemora vitória de Gladson no STJ: “Se sou senador, devo muito a ele”

Tião Maia, ContilNet

“Se eu sou senador da República, hoje devo muito ao Gladson Cameli”, disse, nesta quarta-feira (15), de Brasília, o senador Márcio Bittar (União Brasil-AC).

O senador ligou no último final de semana ao governador para lhe emprestar solidariedade em relação ao julgamento de do Superior Tribunal de Justiça (STJ) desta quarta-feira, quando teve a oportunidade de, no mesmo telefonema, manifestar seu agradecimento ao governador pela aliança em 2018 que o permitiu conquistar um mandato no qual nem de longe aparecia como favorito.

Com a declaração, Marcio Bittar pôs por terras eventuais rusgas com Gladson Cameli que tenha surgido nas eleições de 2022. Isso, para o senador, são águas passadas.

Bittar revelou ao ContilNet que estava conversando em casa, com sua esposa Taís, já que está licenciado do mandato por ter sido submetido cirurgia no pé, e a lembrou da campanha de 2018.

Naquela campanha, por duas vezes, aliados chegaram a propor que o então candidato a governador Gladson Cameli tirasse seu nome da chapa majoritária.

“Ele não topou não topou. Muito pelo contrário, naquela campanha, o Gladson Cameli só me prestigiou. Ele chegou a gravar vídeos defendendo meu nome mesmo quando alguns fizeram gravações de reuniões minhas. Então, neste sentido, devo muito ao Galdson. Eu estava dizendo nisso à minha mulher quando ela sugeriu: por que você não liga para ele? Então, liguei e falei”, revelou o senador.

Marcio Bittar já deve receber alta medica até o final de semana. No momento, já está andado de muletas e acredita que na semana que vem já poderá viajar. Sua primeira viagem será para o Acre.

“Vou ter a oportunidade de dizer no Acre o que penso sobre o governador: acho que ele só deve sair do cargo quando expirar o seu mandato ou se decidir ser candidato ao Senado. Afinal, o povo do Acre o reelegeu me primeiro turno para continuar governando e realizando as obras em relação aos quais temos compromissos”, disse o senador.

Últimas