segunda-feira,20 maio 2024

Republicanos contraria Duarte e deve anunciar apoio a candidatura de Bocalom nos próximos dias

Matheus Mello, ContilNet

O Republicanos deve anunciar o apoio a reeleição do prefeito Tião Bocalom nos próximos dias. Além da negociação com o Progressistas, o PL também iniciou tratativas com a Executiva Municipal do partido do deputado Roberto Duarte, que até algumas semanas atrás vinha defendendo uma candidatura própria do Republicanos na disputa pela Prefeitura de Rio Branco.

O anúncio oficial deve ser feito nas próximas semanas, quando a chapa Bocalom/Alysson poderá ser finalmente oficializada.

A responsável por essa decisão tem nome e sobrenome: a deputada federal Antônia Lúcia, que precisou recorrer à Executiva Nacional do Progressistas.

Ela, inclusive, chegou a cogitar e anunciar a pré-candidatura a prefeita da capital. Porém, na última semana, deixou claro, nas redes sociais, que o Republicanos estará no palanque de Bocalom.

“Estamos juntos Prefeito Bocalom! Estamos juntos em prol de uma cidade melhor, justa e humanizada! Estamos firmes com administração equilibrada, capacidade de organização e desenvolvimento para avançamos com nossas emendas para usufruto da população que tanto enfrentamos adversidades para colocar em posição de crescimento em todos os setores”, escreveu a deputada.

Antônia Lúcia ao lado do prefeito Tião Bocalom/Foto: Redes sociais

Antônia Lúcia foi apoiada pelo senador senador Marcio Bittar, do União Brasil, que defende que todos os partidos de direita estejam unidos na disputa pela Prefeitura da capital.

No último mês, Duarte chegou a dizer que o Republicanos não iria ‘caminhar nem com Marcus Alexandre e nem com Tião Bocalom’.

Blefe

Algumas fontes disseram que a posição de Duarte em querer ser candidato a prefeito é apenas um blefe para conseguir com que o Republicanos consiga indicar o vice na chapa de Bocalom. Atualmente essa missão está dividida entre o União Brasil e o Progressistas.

Duarte não está errado. Como membro defensor do Republicanos, o deputado não quer que o partido fique de fora das decisões políticas e não perca uma fatia do bolo. Ter o vice-prefeito na chapa seria o melhor cenário.

Protagonismo republicano

O deputado e o prefeito Tião Bocalom tem ótima relação, defendem os mesmos interesses e fazem parte da ala mais extrema da direita. Não será surpresa a aliança entre eles. Mas para isso acontecer, Duarte vai exigir que o Republicanos se senta na mesa e não perca protagonismo. Cabe ao Velho Boca saber como vai resolver o impasse.

Segunda maior coligação

Caso a chapa Bocalom/Alysson seja concretizada, o prefeito ganha mais 4 partidos aliados, que fazem parte da base do governador Gladson Cameli e não vão contrariar a decisão do governo. São eles: PDT, Podemos, PSDB e o próprio Progressistas. Essa deverá ser a segunda maior coligação das eleições deste ano, que terá pelo menos 7 partidos.

A coligação deve ter no mínimo a seguinte composição: PL, Progressistas, União Brasil, Republicanos, PSDB, Podemos e PDT.

Últimas