sábado, 24 maio 2024

Idoso que teria lista de pessoas para sacrificar é indiciado por crime de terrorismo; entenda

Redação ContilNet

A delegada Rivânia Franklin, da Unidade de Segurança Pública de Sena Madureira, indiciou Francisco Raimundo Barbosa Brasil, 62 anos de idade, vulgo “Raimundo Brasil”, pelo crime de terrorismo.

Na semana passada, ele foi preso pela Polícia Militar sob acusação de ameaçar moradores do bairro do Bosque e alunos da escola municipal Guttemberg Modesto da Costa.

Em sua residência, que fica a poucos metros da escola Guttemberg, os policiais apreenderam um machado, um terçado, uma faca, dois pé de cabra e uma espécie de lança – arma pontiaguda bastante afiada.

Além disso, também foi encontrado um caderno com várias anotações contendo possíveis ameaças.

Enquadrado na lei antiterrorismo, Raimundo Brasil está sujeito a uma pena que varia de 12 a 30 anos de prisão.

Casa onde o idoso morava, em Sena Madureira/Foto: Reprodução

Por força de uma decisão da justiça de Sena Madureira, atualmente ele se encontra internado no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac), em Rio Branco, visto que apresentou problemas psicológicos.

“Meu irmão não está preso e nem vai ficar porque tem problemas mentais”, comenta morador

Um áudio atribuído ao senhor Chiquinho Brasil, irmão de Raimundo Brasil, causou preocupação entre os moradores e alunos que sofreram ameaças. Na publicação que ganhou os grupos de WhatsApp, ele atesta que seu irmão não ficará preso.

“Com referência a prisão do meu irmão, para algumas pessoas que tem raiva dele, que são contra ele e não tem coragem de chegar pra ele e dizer o que sente, então fique triste a partir de agora. Ele foi para Rio Branco para ser medicado. Não está preso e nem vai ficar preso. Quem tiver se gloriando, pode ficar triste. Ele não está preso e nem pode ficar porque a justiça não permite já que tem problemas mentais. Num prazo de 4 a 5 dias, está de volta”, disse.

Raimundo Brasil já teve passagens pela justiça de Sena Madureira por assassinato e tentativa de homicídio.

 

Últimas