domingo,26 maio 2024

Em 3 meses, Acre registra dois casos de meningite e criança de menos de um ano morre com a doença

Maria Fernanda Arival, Contil

A meningite, doença caracterizada pela inflamação das membranas que recobrem o cérebro e medula espinhal, acometendo as meninges, registrou dois casos da doença e uma morte em 2024. Os dados são do Boletim Epidemiológico sobre meningites da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) com dados coletados até 03 de maio deste ano.

Segundo o boletim, as meningites podem ser causadas por vários agentes etiológicos, desde bactérias, vírus, fungos e parasitas. A doença está relacionada à existência de aglomerados, aspectos climáticos, circulação do agente no ambiente e características socioeconômicas.

No Brasil, as principais ocorrências de meningite bacteriana, de relevância para a saúde pública, são as causadas por N. meningitidis (meningococo), S. pneumoniae (pneumococo) e H. influenza b (hemófilos).

A doença meningocócica (DM) no Brasil é endêmica, com ocorrência de surtos esporádicos. O meningococo é a principal causa de meningite bacteriana no país. Acomete indivíduos de todas as faixas etárias, porém, aproximadamente 30% dos casos notificados ocorrem em crianças menores de 5 anos de idade.

No Acre, em 2023 foram registrados 14 casos confirmados e 7 mortes, com taxa de mortalidade de 50%. Os casos foram separados como 1 de meningite meningocócica, 3 meningites fúngica, 5 meningites não especificada, 2 meningites viral, 1 meningite por Haemophilus influenza, 1 meningite tuberculosa e 1 meningite por pneumococos e as mortes foram 3 por meningite fúngica, 3 por meningite não especificada e 1 meningite tuberculosa.

A doença meningocócica (DM) no Brasil é endêmica, com ocorrência de surtos esporádicos/Foto: Reprodução

Em 2024, foram registrados 17 casos suspeitos, sendo apenas 2 confirmados, com 1 caso de meningite bacteriana e 1 caso de meningite não especificada. Dos casos registrados, uma morte foi confirmada por meningite não especificada.

Segundo o boletim, um caso foi registrado em janeiro e outro em março. Dos casos confirmados, um foi na faixa etária de menor de um ano, que evoluiu para óbito, em Sena Madureira, e outro caso confirmado foi na faixa etária de 50 a 64 anos, no município de Tarauacá.

Vacinas

A forma mais eficaz de prevenção das Doenças Meningocóccicas, Meningites por Pneumocócica, Meningite por Haemophilus b e Meningite Tuberculosa consiste na vacinação, a partir da administração das vacinas BCG, Pentavalente, Menigocóccica C, Menigocóccica ACWY e Pneumocóccica 10 valente na rotina das unidades básicas de saúde, contra os agentes etiológicos específicos, com doses e faixas etárias específicas recomendadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI).

Orienta-se também manter os ambientes limpos e arejados, não se automedicar e procurar atendimento médico quando sintomático.

Vacina contra meningite/Foto: Reproduç

Segundo o Boletim Informativo de coberturas vacinais de 08 de abril de 2024, a cobertura vacinal de BCG em 2023 foi de 80,03%, já a de pentavalente foi de 72,65%, a meningicócica C foi de 73,41% e a pneumocócica 10 valente foi de 81,76%.

Sintomas

Os principais sintomas indicativos de meningite viral são:

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Irritabilidade;
  • Falta de apetite;
  • Náuseas ou vômitos.

Já os sintomas de meningite bacteriana são:

  • Febre alta;
  • Dor de cabeça intensa;
  • Náuseas e vômitos;
  • Irritabilidade;
  • Manchas vermelhas na pele;
  • Confusão mental.

As principais características de um quadro de meningite fúngica são:

  • Dor de cabeça forte;
  • Cansaço e sonolência;
  • Convulsões;
  • Confusão mental.

 

 

 

Últimas