segunda-feira,20 maio 2024

Com mais de 300 casos, Acre é o 3º estado com maior número de notificações de febre oropouche

Maria Fernanda Arival, ContilNet

O número de casos de febre oropouche quadruplicou no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, apenas nas primeiras 15 semanas de 2024, foram registrados 3.354 casos em todo o país. No Acre, segundo o Boletim Semanal das Arboviroses no Acre, já foram 318 casos confirmados, em 20 dos 22 municípios do estado em 2023 e 2024.

O Boletim da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), do dia 23 de abril, informa ainda que já foram testadas 731 amostras.

Uma reportagem divulgada pelo Estadão aponta que o Acre é o terceiro estado com maior número de casos da doença em 2024, atrás apenas do Amazonas e Rondônia.

O secretário de Saúde, Pedro Pascoal, em entrevista ao ContilNet em janeiro deste ano afirmou que mesmo com um aumento considerável de 106% de quadros de dengue em relação a 2023, mais da metade dos casos analisados são, na verdade, de febre oropouche, uma doença infecciosa bem presente nas américas e com casos já registrados no Acre.

O que é febre oropouche?

A febre oropouche é uma doença infecciosa aguda e é causada pelo vírus de mesmo nome. Além disso, a doença é causada por um arbovírus.

Quais são as causas da febre oropouche ?

A febre oropouche ocorre em dois ciclos, o silvestre e o urbano. No ciclo silvestre, geralmente, costuma infectar macacos e bichos-preguiça, além de aves silvestres. Seus transmissores na natureza são os mosquitos como Aedes serratus (Pará) e Coquillettidia venezuelensis (Trinidad).

No ciclo urbano, o único hospedeiro é o ser humano e ela normalmente é transmitida pelo Culicoides paraensis, também conhecido como borrachudo ou maruim.

Quais são os sintomas da febre oropouche?

Os principais sintomas da febre oropouche são:

– febre;
– calafrios;
– dor de cabeça;
– dor nas articulações;
– náuseas.

Quais são as formas de tratamento da febre oropouche?

O tratamento da febre oropouche consiste no uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. Em casos graves da febre de Oropouche, pode ser necessária uma terapia antiviral que utiliza um fármaco chamado ribavirina.

 

Últimas